Ar-condicionado automotivo: dicas para manutenção, higienização e consumo

O ar-condicionado automotivo é um equipamento quase indispensável em um país quente como o Brasil. Além de regular a temperatura interna do veículo, ele também impede que os vidros fiquem embaçados nos dias chuvosos e pode barrar a entrada de fumaça e poeira no habitáculo do carro.

O uso correto do ar-condicionado requer alguns cuidados. Como assim? Se você não trocar periodicamente o filtro antipólen, por exemplo, além de atrapalhar o bom funcionamento do equipamento, você irá contribuir para a proliferação de ácaros.

Antes de mais nada, você sabe identificar o tipo de ar-condicionado que está instalado no seu automóvel? Ele realmente aumenta o consumo de combustível? Higienização: preciso pagar ou eu mesmo posso fazer?

Essas e outras dúvidas estão esclarecidas logo abaixo. Fique a vontade!

Tipos de ar-condicionado automotivo

Manual ou analógico

Modelo mais simples, esse tipo de ar-condicionado é caracterizado pela regulagem da temperatura com o comando que vai da escala azul (frio) a vermelha (quente). Não tem como estabelecer o valor exato da temperatura dentro da cabine: a regulagem vai até a sensação térmica mais confortável para os ocupantes.

ar-condicioando automotivo
Ar-condicionado manual (Foto Fiat | Divulgação)

É parecido com o manual: a diferença é que o ar-condicionado digital tem a facilidade de permitir selecionar a temperatura exata do ar que sairá pelos dutos.

ar-condicionado automotivo

Digital automático

Este regula automaticamente a velocidade do fluxo de ar que sairá dos dutos e a temperatura do mesmo, de acordo com a seleção dos ocupantes. Isso permite melhor distribuição do ar na cabine. Ele controla também a variação no fluxo de ar, para que dentro do habitáculo não haja variação na temperatura.

Digital automático duas zonas

Além das características citadas acima, no modelo de duas zonas, ou Dual Zone, é possível ajustar temperaturas diferentes para o motorista e para o passageiro do banco da frente. Alguns modelos apresentam também um duto de ar para os passageiros do banco traseiro. Porém, sem regulagem de temperatura.

ar-condicionado
Ar-condicionado de duas zonas  (Peugeot| Divulgação)

Ambos são similares ao duas zonas, sendo que o modelo com três zonas possui também uma regulagem independente para os passageiros do banco traseiro. Enquanto no sistema com quatro zonas, ou quadrizone, há também duas regulagens independentes para os passageiros de trás.

ar-condicionado

Ar-condicionado aumenta o consumo?

Ter um carro com ar-condicionado é um conforto que cobra um preço. A climatização dentro do habitáculo acaba provocando, sim, um aumento no gasto de combustível. E a relação do uso do ar com o consumo de combustível é algo que deixa alguns motoristas preocupados. Segundo o assessor técnico da Fiat Chrysler Automóveis (FCA), Ricardo Dilser, a média no aumento no gasto de combustível varia entre 3,5% até 10% quando se roda com o ar ligado.

Mas, é bom lembrar que além dessa variável, o consumo também é influenciado pela potência do motor do ar-condicionado, se é um hatch ou SUV, por exemplo, etc. Vale reforçar que o ar-condicionado não é o maior vilão nessa história. Fatores como: o peso do pé do motorista, se o automóvel roda sempre carregado ou com poucos passageiros e a topografia onde o carro trafega também interfere no gasto de combustível.

Esse aumento no consumo ocorre porque o motor tem que movimentar também o compressor do ar-condicionado. Claro que há vários fatores envolvidos, como o modo de utilização pelo proprietário do automóvel, inclusive se são realizadas as manutenções necessárias.

Uma dúvida bem recorrente de alguns leitores do AutoPapo é se utilizar o ar-condicionado sempre no máximo – temperatura mais baixa –  aumenta ainda mais o consumo de combustível?

A resposta é sim, já que quanto mais frio o interior do carro, mais o ar-condicionado vai ter que trabalhar. Ou seja, o seu compressor vai ficar ligado o tempo todo. E de onde o compressor tira energia? Do motor. Então, quanto mais o compressor trabalha, mais energia ele exige do motor e maior será o gasto de combustível.

A melhor temperatura para se regular o ar é entre 22ºC e 23ºC, mantendo-se o clima agradável, sem exigir excessivamente do compressor e também sem provocar um exagerado consumo de combustível.

Manutenção e cuidados para prolongar a vida útil

O ar-condicionado, assim como qualquer equipamento do seu automóvel, necessita de manutenção. No caso desse sistema, além do prazo já especificado no manual, que varia na média de seis meses ou 30 mil quilômetros, alguns sinais indicam o momento da manutenção. São eles: lentidão para resfriar o interior do veículo, mal cheiro e irritação das vias nasais.

ar-condicionado
Filtro de cabine

Um dos primeiros cuidados que se deve ter com o ar-condicionado automotivo é com a higienização. Afinal, ele se torna foco de fungos, ácaros e bactérias quando não são tomadas algumas medidas preventivas.

A higienização é bem simples: troque o filtro de cabine pelo menos uma vez por ano. Caso você rode constantemente em estradas de terra, é bom se programar para verificar mais vezes o estado do filtro.  E, claro, a tubulação também deve ser limpa periodicamente com um spray antisséptico em uma loja ou oficina especializada.

Mas, caso você queira economizar com a limpeza nos dutos de ar, veja só essa dica do Boris (abaixo). Ah! Ele comenta também se é válida a dica de se desligar o ar-condicionado uns cinco, dez minutos antes de estacionar o carro.

Deixe um comentário

Precisa de Ajuda? Fale Conosco